0 / 0

JMJ23: Francisco volta a convidar jovens a participar no encontro de Lisboa

Em dia de Jornada Mundial da Juventude, celebrada nas dioceses de todo o Mundo, Papa desafiou jovens a “seguirem exemplo de Maria”

O Papa Francisco voltou hoje a convidar os jovens a “participar na JMJ de Lisboa” e a serem “transgressores e não conformistas” na busca por uma paz “que hoje escasseia”.

“Hoje precisamos de jovens que sejam verdadeiramente transgressores. Não conformistas. Que não sejam escravos dos telefones, mas mudem o mundo como Maria, levando Jesus aos outros, tratando dos outros, contruindo comunidades fraternas com os outros, realizando sonhos de paz”, afirmou o Papa antes da recitação da oração mariana do Ângelus, no fim da Missa na catedral de Asti, em Itália.

Lembrando que desde 2021 a Jornada Mundial da Juventude, celebrada a nível diocesano, é realizada nesta Solenidade de Cristo Rei, Francisco renovou o convite ir a Lisboa.

“O tema é o da próxima da Jornada Mundial da Juventude, de Lisboa, que renovo o convite a participar, que é “Maria levantou-se e partiu apressadamente”, disse.

Num fim de semana em que visitou a terra natal dos pais, no norte de Itália, e aproveitou para visitar familiares, nomeadamente a prima que completou 90 anos, o Papa afirmou que “o segredo para permanecer jovem” está nos verbos “levantar-se e andar”.

“Gosto de pensar na virgem que partiu depressa, partiu mesmo depressa e muitas vezes peço à Virgem: ‘Depressa para resolver este problema’. Levantar-se e partir: não ficar parado pensando em si mesmo, desperdiçando a vida atrás de confortos e das últimas modas, mas olhar o alto, partir, sair dos próprios medos para ir ao encontro de quem precisa”, apelou.

Num tempo em que “escasseia a paz”, Francisco pediu “orações pelos muitos lugares do mundo em guerra, em particular a martirizada Ucrânia”, e lembrou o recente incêndio ocorrido num campo de refugiados em Gaza, na Palestina.

“Rezemos também pelas famílias das vítimas do grave incêndio ocorrido há poucos dias num campo de refugiados em Gaza, na Palestina, onde também morreram várias crianças. Que o Senhor acolha no céu os que perderam a vida e console esta população tão provada por anos de conflito”, completou.

Educris|20.11.2022



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades